O Chefe, Caboclo das Sete Encruzilhadas, fora em vida anterior, o Frei Jesuíta Gabriel Malagrida, grande taumaturgo e humanista. Famoso pelas suas peregrinações no Nordeste do Brasil, pelas curas que efetuava com imposição de mãos, pela criação de casas beneficentes que acolhiam viúvas e ex-prostituas e pelo controle das forças naturais por meio de sua prece, queimado em Portugal, acusado de prática de bruxaria pela Inquisição, por ter previsto o terremoto que destruiu Lisboa no ano de 1755, e ter anunciado que esse terremoto era a ira divina que castigava os pecados dos portugueses. E que após, reencarnou em solo brasileiro como um indígena.

Elevando-se, Ele, o Chefe, Caboclo das Sete Encruzilhadas, ao espaço na vida maior, encontrava-se chorando na intersecção dos Sete Caminhos do espaço, sem saber por onde seguir, e que nesse momento, Jesus, em sua inefável doçura, apontou-lhe o caminho e a sua divina missão de instituir o culto que mais tarde, Ele, chamou de Umbanda. E desse acontecimento, Ele, tirou seu bárbaro nome, ou seja, seu nome representa os SETE CAMINHOS do espaço, donde ele se encontrava quando veio-lhe Jesus.

O Chefe, Caboclo das Sete Encruzilhadas, alto mensageiro do Cristo, o mais humilde arauto de Deus, foi incumbido pelo Senhor Deus, de transplantar a Árvore do Evangelho, da Palestina ao rincão de São Gonçalo, criando a Umbanda como religião brasileira. Baixou somente, e tão somente, por meio de seu aparelho mediúnico o Sr. Zélio Fernandino de Moraes, e após o desencarne do seu aparelho, nunca mais se manifestou. E que, se houvesse pessoa ou local para se manifestar, seria UNICAMENTE, em sua TENDA, a TENDA ESPÍRITA NOSSA SENHORA DA PIEDADE, localizada hoje, em conjunto com a CABANA DE PAI ANTÔNIO, em Boca do Mato, Cachoeiras de Macacú, Rio de Janeiro. Sua divina presença hoje é verificada pelo surgimento espontâneo de uma borboleta azul, no recinto das Sessões, ou em seu entorno.

%d blogueiros gostam disto: