Ordens Doutrinárias

1. A Vereda da Luz Casa Espiritual não utiliza de forma alguma, entregas com sangue animal, partes de animais e muito menos prega ou faz uso da “IMOLAÇÃO” (sacrifício animal). As entregas e oferendas vêm de elementos de origem vegetal e mineral. Somente a “LIBAÇÃO” (líquido vegetal ou mineral) é permitida nos assentamentos (salvo em rituais específicos frutas e doces);

2. Enquanto trabalhadores, estamos a serviço do “BEM” e só praticamos a caridade. Não haverá em HIPÓTESE NENHUMA a COBRANÇA de qualquer ORDEM FINANCEIRA por atendimento, como nenhuma prática voltada ao mal será feita. Assim como não há privilégios e barganhas. É vedado qualquer tipo de trabalho fora do Terreiro, sem autorização do Guia Chefe, isto incluí visita a outras Casas ou a outras doutrinações religiosas. Não há em hipótese alguma, incorporação fora do Terreiro, a não ser acompanhado do Guia Chefe.

3. Os membros da “Corrente Mediúnica” deverão utilizar como vestimenta o jaleco branco com a insígnia da Vereda da Luz do lado esquerdo do peito e a calça branca, ambos não podem ser transparentes e o jaleco deve ter 4 polegadas acima do joelho. É permitido o uso de meias brancas e de roupa de frio branca abaixo do jaleco. Nas Giras de Desenvolvimento, os jalecos de manga cumprida não devem ser utilizados por quaisquer participantes. É vedada a participação “nas Giras” se o Médium estiver sem suas guias e sem a insígnia da Vereda no jaleco.

4. Para um bom aproveitamento espiritual é imprescindível a preparação individual obedecendo às firmezas ao Anjo de Guarda e Guias, ter cuidado com a mediunidade inibindo o uso de bebidas alcoólicas, o consumo excessivo de carne vermelha e o ato sexual no dia da Gira. Fazer “Banho de Descarga” para o início e ao término do trabalho. Manter concentração, pontualidade e ASSIDUIDADE aos trabalhos da Casa, isso garante um envolvimento maior nas sessões. Aquele membro que se ausentar de DOIS TRABALHOS SEGUIDOS sem apresentar quaisquer justificativas ao Diretor Litúrgico, será convidado a reiterar o processo de Desenvolvimento.

5. Somente os Guias Chefes do Terreiro poderão autorizar o uso da “Guia de Eledá” (Eledá é conhecido como o “Guardião Ancestral” ou “Anjo de Guarda”), e a “Guia de Oxalá”. As demais “Entidades Compro- missadas” poderão indicar a necessidade de uso de outras Guias após o recebimento das duas primeiras. Aconselha-se que após esta indicação, o Médium confirme o uso das mesmas, com um dos Guias Chefes do Terreiro.

6. Uma vez já posicionado dentro do Terreiro e após acender a vela para o Eledá, o membro não é autorizado a sair do Templo. Salvo aqueles membros que possuem na manga do jaleco as fitas nas cores vermelha e verde acima da parte branca, que representa sinal de Liderança da Casa. Após a entrada no Templo, deve-se evitar também, conversas que destoam o propósito da reunião, antes, durante e no fim da Gira. É vedado o uso da guia de “ESQUERDA” em “Sessões de Caridade”, salvo se autorizado pelo Guia Chefe.

7. Os integrantes da Corrente Mediúnica deverão estar atentos aos “assentamentos” localizados no chão do Terreiro em forma de “ESTRELAS” a fim de que não transitem entre um assentamento e outro cortando corrente, ou entre uma Entidade e outra, cortando concentração. Salvo a situação em que as Entidades estejam distribuídas de maneira aleatória no Terreiro. Da mesma forma, não se transita entre os atabaques, não se desloca à frente do Congá no momento da subida das Entidades, nem atrás do “Corre-Gira” quando algum deles estiverem trabalhando a frente do Congá.

8. Enquanto a Entidade estiver disposta na frente do Congá (pronta a desincorporação), fica impedido ao Membro da Corrente de transitar no Terreiro, devendo manter-se concentrado e emanando boas vibrações (salvo os Médiuns Incorporadores que tenham trabalhado e podem se deslocar, com respeito ao momento e a concentração dos demais). “Entidades sem Compromisso” não apresentam seus nomes ou falanges e não utilizam a “PEMBA” (todo material a serem utilizados e a quantidade dos mesmos para o trabalho, devem ter a autorização dos Guias Chefes do Terreiro), também não indicam o uso de guias nem a Corrente e nem a assistidos, como somente prolongam atendimento a consulentes em tratamento, com a autorização dos Guias Chefes do Terreiro.

9. Aos consulentes de 18 anos fica impedido o atendimento sem o acompanhamento do responsável legal, devendo ficar atento o Médium Incorporador, o Cambono e qualquer integrante da Corrente Mediúnica, sendo este, responsabilidade de todos do Terreiro. Aos Cambonos, deve ser evitado o “AFOBAMENTO”, sempre haverá tempo, paciência e alguém solicito em ajudar. Somente o Cambono conduz o assistido até a Entidade, da mesma forma o reconduz a assistência. Qualquer Membro da Corrente poderá cambonar em falta de cambonos, qualquer Membro da Corrente pode ajudar a outro Cambono, a iniciativa de todos em ajudar é fundamental para manter a ordem dos trabalhos.

10. Devemos lembrar que o silêncio e a pureza de pensamentos são essenciais ao exercício da fé, do início ao fim da cada Sessão. Por isso, permaneça em silêncio no ritual de “BATER-CABEÇA”, lembre-se que o trabalho acaba para você, quando você se despede do Congá, mas ele não acaba para a espiritualidade que lá estava trabalhando. A “ORAÇÃO” é luz na Alma refletindo a Luz Divina.

%d blogueiros gostam disto: